Catedral São José - Erexim/RS
» Pesquisar no site
Reflexão
Mensagem de Bento XVI para o Dia do Enfermo de 2012
Postada em: 05/01/2012

Mensagem de Bento XVI para o Dia do Enfermo de 2012

"Levanta-te e vai; a tua fé te salvou!" (Lc 17, 19).

Queridos irmãos e irmãs!

Por ocasião do Dia Mundial do Enfermo, que estará comemorando em 11 de fevereiro de 2012, Festa de Nossa Senhora de Lourdes, desejo renovar a minha proximidade espiritual a todos os doentes que estão em locais de cuidados ou são cuidadas em famílias, cada um expressando o solicitude e carinho de toda a Igreja. Aceitação amorosa e generosa de cada vida humana, especialmente os mais fracos e doentes, o cristão expressa um aspecto importante de seu testemunho evangélico o exemplo de Cristo, que se inclinou para a situação do homem para curar físico e espiritual.

1. Neste ano, o que está mais próximo do Dia preparação Solene do Enfermo a ser celebrado na Alemanha em 11 de Fevereiro de 2013 e que irá examinar a figura emblemática do Evangelho do Bom Samaritano (cf. Lc 10,29-37), eu gostaria de ênfase na "sacramentos de cura", que o sacramento da Penitência e da Reconciliação, a Unção dos Enfermos e que tenham sua conclusão natural na Sagrada Comunhão.

O encontro entre Jesus e os dez leprosos, narrado no Evangelho de São Lucas (cf. Lc 17,11-19), em particular as palavras que o Senhor fala a um destes: "Get up and go", a tua fé salvos "(v. 19), ajuda a tomar consciência da importância da fé para aqueles que, sobrecarregados com o sofrimento ea doença, estão perto do Senhor. Na reunião com ele pode verdadeiramente experiência que aqueles que acreditam que é nunca sozinho! De fato, Deus em Seu Filho, não nos abandona em nossa angústia e sofrimento, mas não está próximo, queremos ajudar a trazer cura e profunda em nossos corações (cf. Mc 2 ,1-12).

A fé de que um leproso que, encontrando-se curado, cheio de admiração e alegria, ao contrário dos outros, retorna imediatamente para Jesus para expressar sua gratidão, sugere que a saúde recuperada é um sinal de algo mais valioso do que apenas a cura física, é um sinal de salvação que Deus nos dá através de Cristo, enquanto encontra expressão nas palavras de Jesus, a tua fé te salvou. Quem, em seu próprio sofrimento e da doença, é certo que o Senhor chama Seu amor nunca deixa-lo, e que nunca o amor da Igreja, a extensão do tempo de sua obra de salvação, não. A cura física, a expressão mais profunda da salvação, revela a importância que o homem em sua totalidade de corpo e alma, tem para o Senhor. Cada sacramento, além disso, expressa e implementa a proximidade do próprio Deus, que, sem nenhum custo ", toca-nos através de coisas materiais ..., que ele leva em seu serviço, tornando-os instrumentos do encontro entre nós e ele mesmo " ( Homilia, Missa do Crisma, 01 de abril de 2010 ). "A unidade entre criação e redenção se torna visível. Os sacramentos são uma expressão da materialização de nossa fé que abraça de corpo e alma, o homem todo " ( Homilia, S. Santa Missa Crismal, 21 abr 2011 ).

A principal tarefa da Igreja é, certamente, o anúncio do Reino de Deus ", mas este anúncio mesma deve ser um processo de cura:" ... curar os quebrantados do coração " (Isaías 61:1) " (ibid.) , de acordo com o mandato conferido por Jesus aos seus discípulos (cf. Lc 9,1-2; Mt 10,1.5-14; Mc 6,7-13). A combinação entre a saúde física e renovação de lacerações da alma, em seguida, nos ajuda a entender melhor a "sacramentos de cura".

2. O Sacramento da Penitência foi muitas vezes o centro da reflexão dos Pastores da Igreja, precisamente por causa da grande importância no modo de vida cristão, já que "todo o valor da Penitência consiste em restaurar-nos a graça de Deus com ele em uma íntima e grande amizade " ( Catecismo da Igreja Católica, 1468 ). A Igreja, sobre a proclamação do perdão e da reconciliação soou por Jesus não cessa de convidar toda a humanidade a ser convertido e crer no Evangelho. É precisamente o apelo do Apóstolo Paulo: "Em nome de Cristo ... Somos embaixadores através de nós é o próprio Deus que chama. Rogamo-vos em nome de Cristo, reconciliai-vos com Deus "(2 Cor 5,20). Jesus, em sua vida, e torna o presente anunciar a misericórdia do Pai. Ele não veio para condenar mas para perdoar e salvar, para dar esperança mesmo nas mais escuras profundezas do sofrimento e do pecado, para dar a vida eterna, assim também no sacramento da Penitência, na "medicina da confissão," a experiência de o pecado não degenera em desespero, mas ele conhece o amor que perdoa e transforma (cf. João Paulo II, Exortação Apostólica. ap. postsin. Reconciliatio et Paenitentia , 31).

Deus é "rico em misericórdia" (Ef 2.4), como o pai da parábola (cf. Lc 15:11-32), o coração não fecha a qualquer um dos seus filhos, mas espera por eles, olhá-los vai além onde a recusa da comunhão aprisiona no isolamento e divisão, chama-os a reunir em torno de sua mesa na alegria da festa do perdão e da reconciliação. O momento de sofrimento, que pode surgir a tentação de ceder ao desânimo e desespero, pode se tornar tão na hora de voltar para a graça para si e, como uma parábola do filho pródigo, a repensar suas vidas, reconhecendo erros e fracassos, para ouvir a nostalgia do abraço do Pai, e refazer o caminho para sua casa. Ele, em seu grande amor, sempre tomando conta de nossas vidas e está esperando para dar a cada criança que vem de volta para ele, o dom da reconciliação e cheio de alegria.

3. Da leitura dos Evangelhos, é claro que Jesus sempre demonstrou uma atenção especial aos doentes. Ele não só enviou seus discípulos para fixação suas feridas (cf. Mt 10,8; Lc 9.2, 10.9), ele também instituiu um sacramento específico para eles: a Unção dos Enfermos. A Carta de Tiago testemunha a presença deste sinal sacramental na primeira comunidade cristã (cf. 5:14-16): a Unção dos Enfermos e pela oração dos sacerdotes, toda a Igreja encomenda os doentes ao sofrimento e glorificado Senhor, porque vai aliviar o seu sofrimento e salvá-los, ou melhor, exorta-os a estar espiritualmente unido à paixão e morte de Cristo, para contribuir para o bem do Povo de Deus.

Este sacramento nos leva a contemplar o mistério dupla do Monte das Oliveiras, onde Jesus foi encontrado dramaticamente na frente do caminho mostrado pelo Pai, da Paixão, o supremo ato de amor, e ele aceitou. Nesta hora de julgamento, ele é o mediador ", carregando em si mesmo, assume o sofrimento ea paixão do mundo, transformando-o em um grito a Deus, trazendo-o diante dos olhos e nas mãos de Deus, e assim trazendo-a para o tempo real Redenção " ( Lectio Divina, Encontro com o Clero de Roma, 18 de fevereiro de 2010 ). Mas "o Jardim das Oliveiras é ... também o lugar de onde ele subiu para o Pai, é, portanto, o lugar de redenção ... Este duplo mistério do Monte das Oliveiras é também sempre o óleo "ao vivo" sacramental da Igreja ... sinal da bondade de Deus que nos toca "( Homilia, Missa do Crisma, 01 de abril de 2010 ). Unção dos Enfermos, o material é oferecido óleo sacramental, por assim dizer, "o que a medicina de Deus ... agora nos assegura de sua bondade, força e consolo para nós, mas ao mesmo tempo, além do tempo de doença, a cura definitiva, para a ressurreição (cf. Tg 5,14) " (ibid.).

Este sacramento hoje merece maior atenção, tanto na reflexão teológica e ação pastoral nos pacientes. Valorização do conteúdo da oração litúrgica que se adaptam a diferentes situações relacionadas com a doença humana, e não apenas quando ele está no fim da vida (cf. Catecismo da Igreja Católica, 1514 ), a Unção dos Enfermos não deve ser considerada como quase "um sacramento de menores "que os outros. O cuidado pastoral e atenção para com os doentes, embora seja um sinal da ternura de Deus para aqueles que estão sofrendo, o outro traz benefício espiritual para os sacerdotes e toda a comunidade cristã, no conhecimento de que o que é feito para o pouco é feito para o próprio Jesus (cf. Mt 25,40).

4. Sobre os "sacramentos da cura" St. Agostinho diz: "Deus cura todas as tuas enfermidades. Não temais, pois: todas as minhas doenças são curadas ... Você apenas deixá-lo cuidar de si mesmo e por favor se livrar de suas mãos " (Exposição sobre o Salmo 102 , 5: PL 36, 1319-1320). Ela é um meio precioso da graça de Deus, que ajudam o paciente a mais estrita observância com o Mistério da Morte e Ressurreição de Cristo. Juntos, estes dois sacramentos, gostaria também de salientar a importância da Eucaristia. Recebida no momento da doença contribui de uma forma única, para fazer tal transformação, associando aquele que se alimenta do Corpo e Sangue de Jesus oferta que Ele fez de Si mesmo ao Pai pela salvação de todos. Toda a comunidade da Igreja, e as comunidades paroquiais, em particular, preste atenção para garantir a possibilidade de se aproximar da comunhão com freqüência os sacramentos àqueles que, por motivos de saúde ou idade, não podem freqüentar locais de culto. Assim, estes irmãos e irmãs é dada a oportunidade de fortalecer sua relação com Cristo crucificado e ressuscitado, participando com as suas vidas oferecidas para o amor de Cristo, a própria missão da Igreja. Nesta perspectiva, é importante que os sacerdotes que seu delicado trabalho em hospitais, asilos e nas casas dos doentes sentem de verdade "," Ministros dos Doentes ", um sinal e instrumento da compaixão de Cristo, que deve chegar cada homem marcado pelo sofrimento " ( Mensagem para o Dia Mundial do Doente, XVIII, 22 nov 2009 ).

A conformação do mistério pascal de Cristo, também através da prática da comunhão espiritual, assume um significado especial quando ele é administrado e recebeu a Eucaristia como viático. Naquela ocasião, o ressoar existência ainda mais fortemente as palavras do Senhor: "Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e eu o ressuscitarei no último dia" (Jo 6:54). A Eucaristia, especialmente como viático é - de acordo com a definição de Santo Inácio de Antioquia - "remédio de imortalidade, antídoto para não morrer" (Carta aos Efésios , 20: PG 5, 661), o sacramento da passagem da morte à vida, deste mundo para o Pai, que todos estão esperando na Jerusalém celeste.

5. O tema desta Mensagem para o Dia Mundial XX do Doente, "Get up and go", a tua fé te salvou ", também olha para o próximo" Ano da Fé ", que começa em 11 de Outubro de 2012, uma oportunidade favorável e valiosa a redescobrir a força ea beleza da fé, para aprofundar o conteúdo e dar testemunho na vida cotidiana (cf. Carta apostólica. fidei Portão , 11 de outubro de 2011). Eu quero encorajar os doentes e sofredores sempre encontrar âncora segura na fé, alimentada pela Palavra de Deus, a oração pessoal e dos sacramentos, enquanto eu convidar pastores para estar mais disponível para a sua celebração para os doentes. Exemplo do Bom Pastor e como líderes do rebanho a eles confiado, os sacerdotes estão cheios de alegria, carinho para os mais fracos, os simples, os pecadores, mostrando a infinita misericórdia de Deus com as palavras tranqüilizadoras de esperança (cf. S. Agostinho, Carta 95 , 1: PL 33, 351-352).

Para aqueles que trabalham na área da saúde, bem como às famílias que vêem seus parentes no rosto sofredor do Senhor Jesus, renovo os meus agradecimentos e da Igreja, porque, na competência profissional e em silêncio, muitas vezes, sem mencionar o nome de Cristo, O manifesto concretamente (cf. Homilia, Missa Crismal, 21 de abril de 2011 ).

A Maria, Mãe da Misericórdia e da Saúde dos Enfermos, elevamos o nosso olhar ea nossa oração confiante, a sua compaixão materna, viveu ao lado de seu Filho morrer na cruz, acompanhar e sustentar a fé ea esperança de cada pessoa doente e sofrendo no caminho curar as feridas do corpo e do espírito.

Tudo o que eu garanto a minha recordação na oração, concedo uma especial Bênção Apostólica a cada um.

Do Vaticano, 20 novembro de 2011, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo.

 

 

Informativos
» Boletim Caritas (9/2007)
» Boletim Diocesano (1/2012)
» Boletim Pastoral da Juventude (11/2011)
» Cel. Dominical da Palavra (1/2012)
» Folheto Litúrgico (2/2012)
Campanhas e Eventos
» Campanha da Fraternidade 2007
» Campanha da Fraternidade 2008
» Campanha da Fraternidade 2009
» Campanha da Fraternidade 2010 - Ecumênica
» Campanha da Fraternidade 2011
» Campanha da Fraternidade2013
» Evangelização
» Missões
» Outras
Textos de Reflexão
» 48° Jornada Mundial da Paz
» Carta da Assembleia Diocesana da Pastoral da Juventude
» Nota da CNBB - Brasil pós-eleições
» Paróquia - Comunidade de Comunidades
» Cartilha sobre eleições 2014
» PENSANDO O BRASIL: DESAFIOS DIANTE DAS ELEIÇÕES 2014
Imagens
Últimas imagens postadas na galeria de fotos da Catedral
Admissão dos Coroinhas da Catedral
- Paróquia
- Programação
- Serviços Pastorais
- Notícias
- Imagens
- Reflexão
- Diocese de Erexim
- Links
- Contato
Catedral São José
Erexim - RS - Brasil
Avenida Maurício Cardoso, 62
Cep 99700-000
Fone (54) 3321-2379

2014 - NiX Brasil . Agência Digital - Todos os Direitos Reservados.